Últimas Notícias

Na chegada do seu aniversário, a Super Rádio Vale da Serra recebeu a visita do seu diretor dos anos 80, Derani de Morais Pessoa. Derani, irmão e braço direito do fundador da emissora, João Pessoa de Souza, concedeu oportunidade para um considerável número de profissionais iniciarem suas atividades na locução. Um deles é o Aparecido Eterno, que começou a trabalhar na rádio em dezembro de 1989, sendo acolhido por Derani.

Aparecido continuou na equipe quando a empresa foi vendida e permanece como colaborador até o momento. Confira um pouco da bela história de um dos principais veículos de comunicação do interior de Goiás:

Em 12 de outubro de 1982, no aniversário de São Luís de Montes Belos, era inaugurada na cidade a Super Rádio Vale da Serra. Sessenta anos após a chegada do Rádio no Brasil, houve a regionalização desse veículo de comunicação, até então com emissoras somente nos grandes centros.

A microrregião de São Luís se beneficiou dessa regionalização recebendo uma rádio AM (Amplitudes Moduladas). Inicialmente a emissora operava em 1450 quilohertz, mais tarde a sintonia passou para 920 khz. Ao longo desses 39 anos, a Vale da Serra teve um papel preponderante no desenvolvimento regional, por meio de uma programação jornalística, esportiva, de evangelização e entretenimento. É a única emissora a ter promovido até a eleição de 2020 notáveis debates entre os candidatos à prefeitura de São Luís.

O jornal RDR apresentado das 11h às 12h é o carro chefe da programação. Trata – se de um programa jornalístico popular, com o ouvinte sendo o protagonista com participação direta. Grande parte do que vai ao ar é pautada por quem está na audiência. A RVS, devido a sua tradição, é a única da região que possui um público cativo. Pesquisas já comprovaram que outras emissoras disputam um mesmo grupo de ouvintes que gosta de variar de estação, enquanto que a audiência da pioneira é composta por um grupo que não costuma mudar a sintonia do rádio. A emissora já teve em seu quadro de locutores profissionais renomados da capital e contribuiu com a formação de um considerável número de comunicadores que conseguiram se destacar em grandes centros.

No momento, o grupo gestor da Rede Diocesana de Rádio – RDR – composto por Dom Lindomar Rocha, Padres Wallison Rodrigues e Neilton Mendes e Lidiane de Oliveira está empenhado no processo de migração da rádio para o FM (Frequência Modulada), dependendo apenas da parte burocrática do Governo Federal. Essa migração havia sido liberada há cerca de quatro anos, contudo, por motivos contingentes, a gestão anterior não teve interesse na mudança naquela ocasião. A RVS foi fundada pelo advogado João Pessoa de Souza, que ficou à frente da empresa por 9 anos.

Desde então, a Diocese de São Luís de Montes Belos, por meio da Fundação Dom Stanislau Van Mellis, a mantém. Como conhecedor profundo dessa história, o comunicador Aparecido Eterno revela que todas as etapas dessas quase 4 décadas foram de dificuldades e conquistas, e a história recente, segundo ele, está tendo um marco especial, pois a atual diretoria deu aval para a administradora Lidiane de Oliveira provar, com suas estratégias administrativas, que a rádio é viável. Haja vista que na visão de outros gestores, essa façanha seria inatingível. Parabéns a todos que ajudaram a construir essa história!

0
Deixe sua opinião, comente! x
()
x