Polícia Civil prende homem em flagrante que se passava por policial civil em Iporá


A Polícia Civil, por intermédio do Genarc e Deam de Iporá, prendeu em flagrante delito um indivíduo que se passava por policial civil para solicitar/cobrar ilicitamente valores em dinheiro de empresários locais.
De acordo com o apurado, o autuado é  motorista de aplicativo na cidade de Goiânia e a editora Anísio, que publica a revista da União Goiana dos Policiais Civil – UGOPOCI, que o contratou para percorrer o interior do Estado de Goiás para solicitar e receber valores de comerciantes e fazendeiros, entre R$ 50 e R$ 300, a título de “contribuição” para a publicação da revista e para a Polícia Civil.
Segundo os elementos de informação colhidos, para receber os pagamentos, a equipe da editora realizava diversas ligações aos estabelecimentos e oferecia benefícios aos proprietários, entre eles a proteção contra roubos e fraudes, acesso privilegiado a policiais civis, adesivos para serem colocados no estabelecimento e no veículo para não serem parados em blitz, entre outros privilégios indevidos e inexistentes.
A investigação demonstrou, ainda, que os “cobradores” enganavam as vítimas alegando que atuavam em nome da Polícia Civil. De acordo com o autuado, tais práticas também ocorreram nas cidades que compõem as Delegacias Regionais de Iporá, Uruaçu, Itumbiara, Rio Verde, Jataí, Mineiros, Caldas Novas, entre outras, e que os valores eram imediatamente depositados em nome da editora da revista.
Após a captura, condução e formalização do auto de prisão em flagrante pelos crimes de estelionato, falsa identidade e tráfico de influência, o investigado foi recolhido na Unidade Prisional de Iporá e se encontra à disposição do Poder Judiciário. As investigações policiais seguem para aprofundar as responsabilidades criminais de outros envolvidos.
Participaram da ocorrência os Delegados de Polícia Igor Moreira e Eric de Meneses, a Agente de Polícia Célia Clayse e o Escrivão de Polícia Haroldo Moreira.
A Polícia Civil solicita que outros empresários e fazendeiros que tenham sido coagidos nos últimos anos a fazer “pagamentos” em troca de “segurança e privilégios” indevidos compareçam à Delegacia de Iporá para prestarem esclarecimentos.
Confira a fala do delegado Igor à Rede Diocesana de Rádio:

Fonte: Polícia Civil

Conteúdo relacionado

Comente e participe conosco:

1 Comentário
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Valdson Lourenço Pereira
Valdson Lourenço Pereira
6 meses atrás

Ainda bem que tem pessoas que denuncia esses delinquentes. Parabéns ao trabalho eficiência das autoridades que participaram da prisão.

Últimos destaques

Acompanhe a RDR nas Redes Sociais

Leia também