Produtores rurais da região de Iporá estão contrariados com uma exigência da ENEL Distribuição Goiás para que façam um recadastramento. Muitos não estão entendendo essa exigência, e vendo nela mais uma ação que penaliza a classe. O Prefeito de Iporá, Naçoitan Leite (PSDB) em contato com o Jornal RDR disse que mobiliza todos os deputados para evitar isso. O Prefeito alega que o produtor não tem tempo de deixar a propriedade para cumprir essa exigência, diz ele que vai lutar com todas as forças contra essa exigência.

Nossa reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da ENEL e, em nota a empresa respondeu à RDR:

A Enel Distribuição Goiás esclarece que cumpre a Resolução 800/2017 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que determina que todas as distribuidoras do Brasil efetuem o recadastramento dos clientes beneficiados pela tarifa de energia especial para produtores rurais. A companhia informa que as distribuidoras têm de 2019 até 2021, progressivamente, para notificar os clientes. As notificações são feitas na área de avisos da fatura, conforme prevê o órgão regulador, durante seis meses. A empresa esclarece que somente as notificações realizadas desde abril é que vencem em 30 de setembro e correspondem aos municípios de Anápolis, Bela Vista, Catalão, Cristalina, Crixás, Formosa, Goiânia, Hidrolina, Itaberaí, Itumbiara, Luziânia, Morrinhos, Niquelândia, Palmeiras de Goiás, Paraúna, Pirenópolis e Porangatu. Estão previstas para vencer até o dia 31 de outubro as notificações de Bom Jardim, Doverlândia, Faina, Goiás, Iporá, Itapirapuã, Itapuranga, Jataí, Jussara, Mineiros, Montes Claros, Piranhas, Quirinópolis, Rio Verde e Santa Helena.

A Enel esclarece, ainda, que o objetivo do recadastramento determinado pela Aneel é que somente os consumidores que realmente têm direito ao benefício permaneçam com ele, já que o desconto concedido aos produtores rurais é custeado por todos os consumidores.

Reportagem: Pedro Claudio – DRT/GO 1538 – Rádio Rio Claro