Em Iporá, promotor de Justiça Luiz Gustavo Soares Alves e Tem. Cel Ariel comandante do 12º BPM explicam em entrevista o teor do novo decreto, policia militar na rua para cumprir determinação. Está em vigor em Goiás desde 30/06/2020 um novo decreto governamental, o decreto 9.685 que retira do decreto anterior, 9.953 uma série de atividades e serviços que deixam de ser essenciais e assim não podem funcionar,tudo para evitar a disseminação da COVID 19.

Estão proibidas as atividades de cunho religioso, missas e cultos com a presença de público não podem mais acontecer; concessionárias de veículos automotores e motocicletas, auto peças, moto peças, oficinas mecânicas, escritórios de profissionais liberais. Também proibidas as atividades de lavajatos, lavanderias, salões de beleza e barbearias.

O Governador Ronaldo Caiado, em vídeo conferência ontem, 29/06 lançou a proposta de uma quarentena intermitente, conforme já noticiado pela RDR. Ronaldo Caiado teve a concordância de alguns prefeitos e também de autoridades para editar o decreto já publicado. Essa decisão foi tomada principalmente com base em relatório da Universidade Federal de Goiás que em estudo de pesquisa prevê 18 mil mortes em Goiás caso nenhuma medida seja tomada, garante o governo que a alternância entre fechamento e abertura tem o objetivo de preservar vidas com o menor prejuízo possível à economia.

Segundo a UFG, poderemos ter um colapso hospitalar neste mês de julho e 18 mil mortos por COVID-19 no final de agosto e início de setembro, isso caso o isolamento social não seja mais duro, hoje o isolamento está em 36,9 por cento. O Professor Thiago Fernando Lopes Valle de Britto Rangel Biólogo com doutorado na área métodos estatísticos computacionais e simulações computacionais é o responsável pelos estudos.

Reportagem: Pedro Claudio – DRT/GO 1538 – Rádio Rio Claro