Sábado, dia 19 aconteceu em Iporá movimento Fora Bolsonaro com uma pequena movimentação de pessoas no Lago Por do Sol. Utilizando-se de adesivos, faixas, performance artística e projeção de imagens, os manifestantes expressavam insatisfação pela forma que é gerida a crise sanitária no país. A intervenção urbana popular contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou a atenção dos que transitavam nas imediações.

O ato foi organizado por lideranças de movimentos sociais e populares da sociedade civil em geral que se juntaram para expressar publicamente a insatisfação com a atual gestão do Governo Federal, em especial pela forma como é conduzido o gerenciamento da crise sanitária da Covid-19, que atingiu a marca de meio milhão de mortos nesse mesmo dia.


Segundo os organizadores, a movimentação em Iporá esteve alinhada às manifestações que aconteceram em inúmeras cidades brasileiras e que ela foi de forma pacífica e ordeira, os participantes usaram adesivos pedindo “Fora Bolsonaro”, bem como faixas com dizeres no mesmo sentido.

Chamou a atenção a imensa projeção de imagens lançada contra uma parede de um prédio localizado em frente ao Lago, com mensagens de protesto contra o Governo Bolsonaro. O efeito visual gerou grande impacto aos que transitavam pela Rua Jacinto Moreira.

Um personagem representando a “Morte” também fez parte do evento. A alegoria simbolizou a insatisfação popular pela forma como o Palácio do Planalto tem gerenciado a pandemia no País. Além disso, a performance simbolizou a triste lembrança da marca de 104 vítimas de Covid-19 registradas somente no município de Iporá até sábado.

Um dos presentes no ato “Fora Bolsonaro”, o professor Ricardo Silvério, ressaltou que a intervenção não teve nenhum vínculo partidário e que a iniciativa foi movida pelo sentimento de cidadania. Segundo ele, o movimento é legítimo e contra a campanha de desinformação, como o uso de medicamento ineficazes e discurso contrário à vacina, disseminado pela atual gestão federal. “Bolsonaro faz apologia ao genocídio, e estamos aqui porque defendemos a vida e a vacina”, disse.

Um dos colaboradores da intervenção, o produtor artístico Eros Guimarães enfatizou que houve um planejamento no sentido de reunir um número reduzido de participantes. A medida teve como objetivo respeitar os protocolos de saúde em um momento de piora dos índices da pandemia em Iporá. “Vivemos a pior fase da pandemia na cidade, por isso achamos prudente não convocar uma manifestação aberta, para evitar aglomerações”, enfatizou. “O importante foi mostrar a Iporá que aqui há resistência organizada ao Governo Bolsonaro”, disse o produtor.

O ato “Fora Bolsonaro” deste 19 de junho aconteceu em mais de 400 cidades do país. Estima-se que no último sábado mais de 700 mil pessoas foram às ruas pedindo o impeachment do Presidente.