Para conter o avanço do novo coronavírus no Estado, Goiás vai adotar a partir desta terça-feira um fechamento alternado de atividades não essenciais, com funcionamento por 14 dias e suspensão por outros 14, segundo decreto assinado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM).

O decreto, que segue recomendação feita em estudo da Universidade Federal de Goiás (UFG), vai vigorar enquanto as medidas forem necessárias.

Segundo dados do Ministério da Saúde, Goiás registrou 23.007 infectados e 437 mortos por Covid-19 até a noite desta segunda-feira.

O governo estadual informou que atividades consideradas essenciais podem continuar funcionando, desde que observadas as medidas de segurança já orientadas pelas autoridades de saúde como utilização de máscaras, assepsia das mãos e atenção sobre a quantidade de pessoas circulando para evitar aglomerações.

Nesse primeiro momento, foram liberadas para abrir farmácias, entre outros, clínicas de vacinação, laboratório de análises clínicas e estabelecimentos de saúde, salvo exceções; cemitérios e serviços funerários; distribuidores e revendedores de gás e postos de combustíveis; supermercados e congêneres, não incluindo lojas de conveniência; e clínicas e hospitais veterinários.