Acontece nesta quinta-feira 07/11/2019, o julgamento pelo Tribunal do Juri Popular da Comarca de Iporá de Virdilino Diego Ferreira da Silva, acusado pela morte de Sand Maquele Ferreira Castro Silva, crime ocorrido na madrugada do dia 20 de outubro de 2018, no interior da residência na Rua São João, Jardim Monte Alto, em Iporá.

O réu, segundo aponta o inquérito policial armado de um revólver calibre 32, desferiu um disparo contra a vítima Sand Maquele Ferreira Castro Silva que não resistiu ao ferimento e veio a óbito.

O inquérito policial aponta que Sand Maquele foi morta por razões da condição de sexo feminino, por violência doméstica e familiar. Virdilino Diego e Sand, autor e vítima tinham um relacionamento amoroso conturbado de 04 (quatro) meses. No momento do crime os dois estavam no quarto do casa, quando durante uma discussão entre ambos, Virdilino Diego se apoderou de um revólver calibre 32 e efetuou um disparo contra o rosto de Sand Maquele Ferreira Castro Silva, provocando lhe a morte.

Virdilino, após o disparo noticiou à Policia Militar e ao Corpo de Bombeiros que havia sofrido um assalto, e que sua mulher tinha levado um tiro no rosto.

O Réu envolveu a arma de fogo (que estava municiada) em um saco de sal e a ocultou no fundo do lote. Na presença dos militares, o denunciado, após ter sido contido numa tentativa frustrada de fuga do cenário do crime, confessou ter disparado contra a vitima  após uma discussão.

Na casa, foi encontrada a arma de fogo ocultada com  5 munições intactas e 01 (uma) deflagrada e ainda, 01 (uma) porção e fragmentos da droga conhecida por crack, 04 (quatro) porções de maconha, 01 (uma) balança de precisão e 01 (uma) faca alaranjada, envolta por uma folha de papel branca.

Face a essas drogas, foi instaurado inquérito policial específico junto ao Grupo Especial de Repressão a Narcóticos de Iporá-GO (GENARC).

 

Reportagem: Pedro Claudio – DRT/GO 1538 – Rádio Rio Claro